Está um pouco insuportável ser eu agora,

9 ago

 mas suporto porque é assim que tem que ser. Queria estar em casa. Queria estar com as cachorrinhas. Queria estar em casa com as cachorrinhas, chorando. 

Em vez disso, sou uma pessoa sentada na entrada do prédio do trabalho, fazendo força pra não chorar de novo no escritório e digitando no telefone. 

Luto que a gente sente por quem está vivo parece pior que por quem não está. Nada que a gente faça, nada que o outro faça, nenhuma mudança nas circunstâncias ou nos sentimentos faz o outro voltar, e o que não tem remédio remediado está. A gente esquece o que não foi bom e guarda pra sempre o que foi muito. E encontra o conforto. 

Mas pensar que eu estou viva, o outro também e todas as alternativas e condicionais que poderiam ter acontecido mas que não – outro momento na vida, não ter havido um evento traumático pra desestabilizar o que parecia poder ser alguma coisa que poderia ter nos levado a sermos mais felizes, a estarmos juntos de verdade, ter tido mais ou menos paciência ou compreensão ou bloqueios – que nada realmente muda, nada realmente traz de volta o ser amado, gostado, ou pretendido, amarração garantida, virge mãe puríssima. 

Nunca tem isso, eu sei – estamos continuamente nos transformando e tentando evitar a decepção, o cansaço e a separação. Que às vezes se confunde com aproveitar enquanto isso ou até lá, esperando que o até lá não chegue, observando os momentos que são bons e valiosos e olhando pra eles como se fôssemos visitantes de uma exposição num museu. Você está lá e não está. Às vezes, tudo pode estar misturado, e há dúvidas mas também uma esperança que fica servindo de forro pra tudo. E a gente encara. 

Eu sou essa fonte inesgotável de otimismo e realismo.

É muito difícil abrir mão da esperança e de querer ouvir que talvez eu estivesse enganada ou que tivesse compreendido mal, ou o outro tivesse feito isso. É bem difícil esvaziar os espaços da vida em que o outro havia e colocar outra coisa pra preencher de novo, com outros sentimentos ou atividades ou GoT sem ninguém pra comentar. Ainda não cheguei nesse ponto. Está tudo bem novo. 

Anúncios

3 Respostas to “Está um pouco insuportável ser eu agora,”

  1. rmdelatorre agosto 9, 2017 às 4:01 pm #

    Li. De longe, mando bons sentimentos. Tudo é complicado mesmo. Mas vai passar. Um beijão.

  2. renatofelix setembro 16, 2017 às 3:52 pm #

    Que tudo esteja melhor do que quando você escreveu isso. Muita v
    vontade de te dar um abraço.

TISCUTO

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: